Tina Modotti (1896 – 1942): entre arte e revolução

Categoria: História e Fotografia.

03/11/2016

Tina Modotti, hermana, no duermas, no, no duermas

tal vez tu corazón oye crecer la rosa

de ayer, la última rosa de ayer, la nueva rosa.

Descansa dulcemente, hermana.

La nueva rosa es tuya, la nueva tierra es tuya:

Te has puesto un nuevo traje de semilla profunda

Y tu suave silencio se llena de raíces.

No dormirás en vano, hermana.

Puro es tu nombre, pura es tu frágil vida

De abeja, sombra, fuego, nieve, silencio, espuma,

De acero, línea, polen, se construyó tu férrea,

tu delicada estructura.

(Epitáfio de Pablo Neruda)

001

Anônimo, Tina Modotti a Hollywood / 1920

No início da carreira, dedicou-se às artes do espetáculo como atriz e modelo, mas foi na fotografia onde encontrou sua maior forma de expressão. Tina Modotti, fotógrafa e ativista política. Nascida na Itália, Tina Modotti, migrou ainda adolescente com seu pai para os Estados Unidos da América. Atraída pela cena cultural de Los Angeles, tornou-se atriz dos primeiros filmes de Hollywood – The Tiger’s coat (1920). Mudando-se para o México na década de 1920, tornando-se contemporânea de Frida Kahlo, Diego Rivera e Julio Antonio Mella. Ela foi retratada em vários dos murais de Diego Rivera e, como fotógrafa de Rivera, ela o fotografou enquanto trabalhava em seus murais e depois quando os mesmos estavam finalizados.

002

Tina Modotti, Julio Antonio Mella / 1928

003

Tina Modotti, Chapéu mexicano com martelo e foice / 1927

O fotógrafo mexicano Manuel Alvarez Bravo dividiu a carreira de Modotti em duas distintas categorias. “Romântica” e “Revolucionária”, sendo que o primeiro período incluía o tempo despendido como assistente de quarto escuro, gerente, e finalmente, como parceira criativa de Edward Weston. Em geral, Edward Weston foi comovido pela paisagem e arte folclórica do México a criar trabalhos abstratos, enquanto Modotti era mais cativada pelo povo mexicano e fundiu este interesse humano com uma estética modernista. No México, Modotti fundou uma comunidade cultural e política avant-gardists. Ela tornou-se a fotógrafa favorita para o crescente movimento mexicano de murais. Seu vocabulário visual amadureceu durante este período, com seus experimentos com arquitetura de interiores, flores e paisagens urbanas, e especialmente com suas muitas imagens líricas de camponeses e trabalhadores. Sua exibição retrospectiva na Biblioteca Nacional em dezembro de 1929 foi anunciada como “A Primeira Exibição Revolucionária do México”.

148 TINA MODOTTI Die Hände des Puppenspielers (Louis Bunin) Mexico City 1929

Tina Modotti, Mãos de um manipulador de marionetes / 1929

005

Tina Modotti, Mãos lavando / 1927

Profundamente envolvida nos movimentos revolucionários de seu tempo, ela lutou na Guerra Civil da Espanha na década de 1930, quando conheceu Pablo Neruda. Anos depois, viveu na União Soviética, no entanto, lá encontrou uma atmosfera mais sufocante e repressiva ainda. Como uma das fotógrafas mais notáveis ​​do século XX, com o tempo, desenvolveu um estilo documental único de fotografia. Profundamente influenciada pelo fervor cultural e político pós-revolucionário no México, ela se tornou internacionalmente reconhecida por suas fotografias desse país.

 

006

Tina Modotti, Mulher com bandeira / 1928

007

 

Tina Modotti, Edward Weston e Frida Kahlo / 1927

 

Referências:

Tina Modotti

http://www.modotti.com/

Acessado em 01/11/2016, às 9:55.