Nas águas de Ofélia

Categoria: Autores.

22/10/2015

Nicola Jayne Maskrey é uma artista britânica que geralmente trabalha com as relações entre o Eu interior e o ambiente externo e de que maneira elas podem ser conflituosas.

Em sua produção fotográfica costuma experimentar diversas técnicas analógicas e digitais, trabalhando com processos alternativos, captação por scanners, tipos de impressão e outros. Tendo sua produção final voltada para o objeto impresso e instalação baseada em projeção.

Na série Ophelia, de 2014, a artista cria fotografias subaquáticas e com um processo de impressão que parece ser da Polaroid PoGo em papel ZINK. Este processo gráfico utiliza uma impressão térmica sobre um papel de 5 camadas: a primeira de superfície, seguida por três de cores (onde a imagem se apresenta), por último, uma de proteção. Estas três camadas intermediárias são ativadas de acordo com a temperatura que incide na região.

 

Nicola_Jayne_Maskrey-01 Nicola_Jayne_Maskrey-02

Ophelia, Nicola Jayne Maskrey

 

Este processo de impressão possibilita alguns tipos de intervenção: o térmico, que consiste em utilizar uma fonte de calor para se desenhar na imagem já impressa; gastar as camadas com algum tipo de lixa, e o “lift process”, que consiste em deixar de molho a fotografia e com isso trabalhar cada camada de cor, podendo até se destacar as películas de cores da superfície base.

Esse processo de impressão e a intervenção na água, nesta série, conduz a base conceitual do trabalho, exaltando como as emoções vinculadas ao romantismo apesar das representações tradicionais podem se apresentar nas camadas mais interiores do Eu de forma destrutivas e conflituosas. A presença da água no processo de intervenção e na cena fotografada vem reforçar esse mergulho ao Eu interno numa situação de imersão.

A artista utiliza como artifício para situar seu trabalho a personagem Ofélia, da tragédia Hamlet escrita pelo britânico William Shakespeare entre 1599 e 1601. Personagem essa, que talvez tenha sido a mais frágil heroína de Shakespeare, é de uma profundidade muito além da apresentada aqui. Neste texto procuro apenas apresentar algumas questões e características interessantes ao trabalho fotográfico de Maskrey.

Ofélia como símbolo social, representa o desajuste feminino entre o padrão Medieval de Virgem Maria e da imagem de Ninfa vivida pelo Renascimento. Em sua posição submissa em relação aos outros, vive uma situação em que não tem contato com seus sentimentos devido a opressão das figuras masculinas que a rodeiam. Seu pai e irmão lhe impõem idealizações que atravessam suas emoções, enquanto Hamlet hora lhe coloca numa posição de ninfa, criatura associada a natureza que vivem numa sensualidade natural aludindo a uma mitologia clássica, e hora como donzela santificada posta como intocada.

Na medida que a personagem é sufocada emocionalmente por todo o ambiente ao redor, acumula internamente toda essa repressão e se perde em meio as emoções. Nesse ponto é guiada pela falta da razão, na qual não diferencia mais o ambiente externo do Eu e começa a colocar para fora toda essa todas essas emoções de forma desordenada.

A série de Maskrey aponta para este momento, não propriamente da loucura, mas sim de uma eloquência emocional causada pela emoção romântica.

Assim como nas fotografias que a figura se encontra submersa em todas as imagens, na peça, Ofélia é guiada quase que instintivamente às águas afim de se apaziguar consigo mesma.

 

Nicola_Jayne_Maskrey-03

Ophelia, Nicola Jayne Maskrey

 

A personagem Ofélia já foi abundantemente utilizada como referencia em produções artísticas, temos como exemplo na pintura John Everett Millais (1851) e John William Waterhouse (1889) e na produção cinematográfica o videoclip da música Where The Wild Roses Grow (1995) do grupo Nick Cave  e Kylie Minogue e com o filme Melancolia (2011) de Lars von Trier.

 

Melancolia

Filme Melancolia, Lars Von Trier, 2011

 

Ophelia 1851-2 by Sir John Everett Millais, Bt 1829-1896

Ophelia, Sir John Everett Millais, 1851-1852

 

LINKS:

Nicola Jayne Maskrey:

http://www.njmaskrey.com

 

LIFT PROCESS:

https://www.youtube.com/watch?v=M5b4CqHBr3Y

https://www.youtube.com/watch?v=2pMpD8a2DmI

 

NICK CAVE E KYLIE MINOGUE: WHERE THE WILD ROSES GROW:

https://www.youtube.com/watch?v=xBq_PSg3vHc

 

________________

Marcelo Parducci é fotógrafo e sua pesquisa tem foco em formas experimentais e/ou alternativas dentro do universo da fotografia que trabalhem construindo poéticas.