Henry Peach Robinson (1830-1901): Composições fotográficas, o início da fotomontagem

Categoria: História e Fotografia.

05/05/2016

A produção de uma obra fotográfica diz respeito ao conjunto dos mecanismos internos do processo de construção da representação, concebido conforme uma certa intenção, construído e materializado cultural, estética/ideológica e tecnicamente, de acordo com a visão particular de mundo do fotógrafo. (KOSSOY, 2002, p.42)

 

Segundo Margot Pavan em seu texto Fotomontagem e Pintura Pré-Rafaelina, a fotomontagem surgi como resposta a dois problemas técnicos – a impossibilidade de fotografar ao mesmo tempo céu e paisagem, pois o azul do céu imprimia-se muito mais rápido, saturando a fotografia; e a imperfeita focalização dos diversos planos permitida pela lente fixa. No entanto, com o tempo, as dificuldades técnicas tornam-se secundárias, pois a fotomontagem permitiu que a fotografia ingressasse no universo das Belas Artes em igualdade com a pintura.

 

001_final

Henry Peach Robinson / When the Day’s Work is Done, 1877 /Composição fotográficas com seis negativos

 

002_final

Henry Peach Robinson / Autumn, 1863

 

003_final

Henry Peach Robinson / Estudo para A Holiday in the Wood, 1860 /Fotografia impressa em papel salgado com interferências de grafite e aquarela

 

Oscar Gustva Reijlander, contemporâneo e mestre de Robinson escreveu o primeiro texto da história da fotografia o qual falava especificamente da fotomontagem, por ele denominada photographic composition. Neste texto, ele defendeu a fotomontagem, pois com ela rompia-se com a falsa ideia de que a fotografia era uma “coisa simples”, sem elaboração, a fotografia apresentava-se não apenas como “registro” ou “ajuda” a ser utilizada por artistas, e por fim, com a composição fotográfica, seria possível construir uma perspectiva regular sem o desfoque.

Henry Peach Robinson continuou o trabalho iniciado por Reijlander, além de demonstrar grande habilidade técnica, dedicava-se à tratadística da época. Robinson também fotografava, escolhendo cuidadosamente cenas bucólicas e figuras do cotidiano, evitando completamente os temas ideais.

 

004_final

Henry Peach Robinson / A Moving Tale, 1885

 

005_final

Henry Peach Robinson e Nelson King Cherrill / Seascape at night, ca. 1872. / Fotografia impressa em albúmen

 

006_final

Henry Peach Robinson / In Kilbrennan Sound, 1895

 

“A fidedignidade obtida por Robinson era em si mesma um duplo constructo (tal qual a imagem de Reijlander): além da preparação da natureza que envolvia um estúdio muito equipado (cenários, luzes, tipos, poses…) havia ainda o recurso à fotomontagem.”

Dessa maneira, as fotografias e fotomontagens impressionam os dias de hoje, pois nelas encontramos a recriação do mundo físico ou imaginado, tangível ou intangível, produto de um elaborado processo de criação do fotógrafo, no qual uma nova realidade é construída.

 

Referências:

KOSSOY, Boris. Realidades e ficções na trama fotográfica. Cotia: Ateliê Editorial, 2002.

PAVAN, Margot. Fotomontagem e Pintura Pré-Rafaelina. In: FABRIS, Annateresa. Fotografia: usos e funções no século XIX. São Paulo: Edusp, 2008, p. 233-260.

Pleassant Fictions: Henry Peach Robinson’s composition photography – David Lawrence Coleman, B.A., M.A.

https://www.lib.utexas.edu/etd/d/2005/colemand35309/colemand35309.pdf

Acessado em 27/04/2016, às 11:30.

________________________

Fabiola B. Notari é artista visual e pesquisadora. É doutoranda em Literatura e Cultura Russa no Departamento de Letras Orientais (DLO/FFLCH/USP) e mestre em Poéticas Visuais pela Faculdade Santa Marcelina (FASM/ASM). Leciona História da Fotografia e Fotomontagem no Curso Superior de Fotografia no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo e coordena o Grupo de Estudos Livros de artista, livros-objetos: entre vestígios e apagamentos na Casa Contemporânea.